A Vincent mais cara do mundo

216

No leilão organizado pela Bonham’s que decorreu ontem em Las vegas, uma Vincent Black Lightning de 1951 foi vendida por 929.000 dólares, cerca de 748.770 euros. Esta cifra de quase um milhão de dólares é um novo recorde mundial para uma moto vendida em leilão.

Só foram feitas cerca de 33 modelos da Vincent 998cc Black Lightning e actualmente apenas se sabe que 19 têm o número de quadro e motor correctos. Este modelo é um dos mais procurados e valorizados em leilão. Quando foi lançado nos anos cinquenta representava a moto de produção mais rápida com que se podia andar na estrada oferecendo uma velocidade máxima de cerca de 196 km/h, o que era superior ao carro mais rápido da altura, o Jaguar XK120.

Esta Vincent em concreto conta com um rico historial de competição sendo o seu ponto alto o recorde australiano de velocidade, que foi na altura “obliterado” pelo piloto australiano Jack Ehret que atingiu 227 km/h em Janeiro de 1953. Nos anos seguintes Ehret conseguiria um conjunto de vitórias em várias provas na Austrália e a sua Black Lightning ganharia uma forte reputação no universo das corridas.

Jack Ehret não corria apenas em provas individuais, mas também em corridas com sidecar tendo como parceiro Stan Blundell. Era normal assistir a um dia de corridas em que Ehret competia mais do que uma vez. Sozinho com a sua Vincent ou com o sidecar montado e o seu parceiro. Em 1956 venceria o Australian TT precisamente na categoria Sidecar TT, desta feita com George Donkin a seu lado.

Após 1958 houve um período de uma certa hibernação competitiva para Ehret e a sua Vincent e só em 1968 voltaria à pista conseguindo ainda assim um terceiro lugar com John “Tex” Coleman no sidecar em Oran Park.

Passou mais uma década e já no final dos anos setenta Ehret regressa a Oran Park, mas desta vez já com a Vincent na categoria de clássicas e ainda assim brilhou ao mais alto nível ao vencer as duas corridas com mais de uma volta de avanço sobre o segundo lugar.

O ocaso competitivo desta Black Lightning surgiu já em 1993 quando correu pela última vez em Eastern Creek e venceu as duas corridas na categoria sidecar com Ehret aos comandos e o seu filho John no sidecar. Depois Jack retirou o sidecar e passou a Vincent para as mãos do filho que fez as duas corridas a solo.

Segundo Jack Ehret, nos cerca de 40 anos de competição nas suas mãos, esta moto terminou no pódio em 80% das corridas que fez.

Em 1999 foi vendida a Franc Trento que a manteve tal como estava, recusando-se a restaurá-la. Ainda apareceu em pista, só a título de exibição, em 2009 e 2010. Em 2014 foi finalmente vendida ao seu actual vendedor que se encarregou de a colocar nas mãos do especialista em motos Vincent, Patrick Godet para ser toda recuperada. A recuperação destinou-se apenas a colocá-la funcionante e legal para circular em estrada, mas não foi um restauro, para não perder pitada de todo o seu pedigree e historial de corridas. As peças como o sidecar, ou as várias carenagens que Ehret lhe havia incorporado foram retiradas, mas não se separaram da moto, pois são parte da sua história, e estavam incluídas no lote que foi a leilão na Bonham’s.

De forma algo resumida é esta a história daquela que é a moto mais cara de sempre alguma vez vendida em leilão: a Vincent 998cc Black Lightning de 1951 de Jack Ehret.