Testes MotoGP Buriram: Marquez no topo no segundo dia

No segundo dia de testes de MotoGP em Buriram foi o aniversariante Marc Marquez quem estabeleceu o melhor tempo.

117
Marc Marquez

No segundo dia de testes de MotoGP no Chang International Circuit, em Buriram, foi Marc Marquez quem conseguiu o melhor tempo. Foi uma óptima maneira do piloto espanhol celebrar o seu 25.º aniversário, tendo sido também um dos pilotos que mais voltas cumpriu, 97, ficando apenas atrás de Mika Kallio, que completou 99 voltas neste segundo dia de testes.

Agora com melhor conhecimento do traçado os pilotos puderam concentrar-se nas suas motos e também nos pneus que a Michelin trouxe para a Tailândia – quatro traseiros diferentes – , dando assim trabalho extra a toda a gente.

Dani Pedrosa liderou a tabela de tempos durante boa parte do dia, mas já perto do final seria o seu companheiro de equipa a estabelecer o melhor tempo, mais uma vez com uma margem muita curta, de apenas 0,158 s. Mais uma vez os tempos ficaram muito próximos, com os 15 primeiros separados por menos de 1 s, e os nove primeiros separados por pouco mais de 0,5 s.

Marc Marquez, entre outras coisas, testou uma nova solução aerodinâmica, que Dani Pedrosa deixou para o último dia. A Repsol Honda não foi a única a mostrar novas carenagens com ‘asas que não são’: Suzuki e Ducati também testaram novos componentes aerodinâmicos.

O terceiro melhor tempo do dia foi para Jack Miller, que parece estar mais consistente, tendo rodado rápido durante a manhã e novamente à tarde, estabelecendo o seu melhor tempo nas suas últimas voltas. O piloto australiano dizia no final nunca ter estado tão à vontade e tão confiante em MotoGP como este ano, voltando aos níveis de confiança de quando estava nas Moto3.

Depois de um dia difícil, Maverick Viñales só à tarde conseguiu começar a ver resultados, algo que o seu companheiro de equipa, Valentino Rossi não conseguiu. Para o espanhol o problema parece estar na electrónica que provoca alguma falta de aderência na traseira. O mesmo parece acontecer com Rossi, que estava pouco satisfeito: «Começámos bem esta manhã, fiz algumas boas voltas, mas depois tínhamos trabalho para fazer e algumas coisas para experimentar. Sinceramente, não gostei muito. Tentámos coisas diferentes na electrónica e também nas afinações, mas infelizmente não encontrámos melhorias. Também tivemos que trabalhar para a Michelin, eles queriam que experimentássemos alguns pneus traseiros. Temos que manter a concentração e tentar um caminho diferente amanhã», desabafou o piloto italiano.

Takaaki Nakagami voltou a ser o melhor dos rookies, com o 15.º lugar do dia e Hafizh Syahrin melhorou, terminando à frente de outro rookie, Xavier Simeon, e a pouco mais de 2 s do melhor tempo do dia.

1. Marc Marquez – Repsol Honda Team (97 voltas, 1’29.969)

«Primeiro que tudo quero agradecer aos fãs por todas as mensagens de felicitações que recebi no meu aniversário. A melhor maneira de o celebrar é a pilotar a minha moto e a desfrutá-la. Hoje foi um bom dia, começámos por retocar um pouco as afinações desde o início da sessão. Experimentámos alguns pneus traseiros, que não são nada maus, e alguns aspectos aerodinâmicos. No final do dia escolhemos a nossa melhor afinação e fui capaz de rodar mais rápido. Veremos amanhã, porque a pista melhora de dia para dia e os outros pilotos também. Dito isto, creio que estamos a fazer um grande trabalho na nossa box e tentaremos seguir esta linha.»

Marc Marquez celebrou o seu 25.º aniversário
2. Dani Pedrosa – Repsol Honda Team (71 voltas, 1’30.127)

«Estamos a trabalhar muito nestes dias porque temos muitas coisas para perceber: o circuito, a afinação e outros aspectos. Hoje conseguimos manter um melhor ritmo do que ontem e conseguimos melhorar a pilotagem e a afinação. Porém, ainda não estamos lá, temos que melhorar um pouco mais. Testei alguns pneus, apesar de não serem os que utilizaremos no fim-de-semana da corrida; concentrámo-nos nas suspensões, electrónica e caixa de velocidades. Amanhã provavelmente trabalharemos também na aerodinâmica. Estamos a trabalhar na direcção certa; amanhã tentaremos que tudo corra bem no último dia de testes».

Dani Pedrosa
3. Jack Miller – Alma Pramac Racing (69 voltas, 1’30.185)

«Estou muito satisfeito. Estamos a trabalhar bem e as sensações são realmente positivas. Volta após volta, saída após saída, estamos cada vez mais rápidos e isso dá-nos grande confiança. Sinto-me muito confiante, mesmo com pneus usados. Ainda temos espaço para melhorar, por isso temos que continuar a trabalhar sem olhar para a folha dos tempos. As sensações são realmente positivas.»

Jack Miller
4. Maverick Viñales – Movistar Yamaha MotoGP (90 voltas, 1’30. 274)

«Levámos algum tempo a perceber como fazer a moto funcionar aqui. Na parte da tarde comecei a sentir-me bem e consegui rodar a bom ritmo. Mudámos algumas coisas no último momento e parece que conseguimos algumas melhorias, por isso essa deverá ser a direcção que deveríamos continuar amanhã- queremos confirmá-la. Segui os meus instintos e criei a minha própria afinação e isso faz-me sentir bem, quando tenho a minha moto e posso pilotá-lo ao meu estilo. Amanhã verificaremos as afinações e temos que melhorar o ritmo. Acho que demos um incrível passo em frente à tarde e pilotar consistentemente em 1’30 é o mais importante. Também tentámos dois diferentes pneus hoje e amanhã testaremos mais dois.»

Maverick Viñales
5. Johann Zarco – Monster Yamaha Tech 3 (60 voltas, 1’30.360)

«Foi um grande segundo dia, estou contente! Comparado com ontem, a minha posição na classificação é muito melhor, embora eu não esteja muito focado nisso. Em todas as voltas que fiz hoje, fui rápido. Ainda não fiz uma simulação de corrida, mas utilizei bem os pneus usados. No entanto, tenho que admitir que esperava uma melhoria maior quando coloquei o pneu novo, mas ao mesmo tempo isso ajuda-nos a compreender as alterações nas condições da pista. Temos boas informações e para mim o equilíbrio da moto agora está muito bom agora. Consegui puxar muito e estou apenas algumas décimas atrás dos pilotos da frente, o que significa que há apenas algumas pequenas áreas onde precisamos melhorar. Amanhã teremos um novo dia e será o terceiro aqui na Tailândia, toda a gente estará mais rápida, porque já conhecemos a pista e sabemos como pilotar a moto aqui. Espero poder estar muito competitivo e sair com um sorriso do circuito de Buriram.»

Johann Zarco
6. Danilo Petrucci – Alma Pramac Racing (75 voltas, 1’30.367)

«Estamos a trabalhar muito para o campeonato. Esta manhã dedicámo-nos aos pneus e a fazer muitas comparações, o que é muito exigente. Mas tivemos resultados positivos e mesmo quando tentámos um ataque ao cronómetro esta manhã, isso correu bem. Ainda há muito a fazer, mas a sensação é notável apesar de não termos ainda trabalhado na afinação.»

Danilo Petrucci
7. Alex Rins – Team Suzuki Ecstar (56 voltas, 1’30.446)

«Hoje foi um dia realmente positivo e testámos muitas coisas. Como viram, testámos a nova carenagem em duas versões e alguns novos componentes no chassis, e acho que foi realmente bom. Com a nova carenagem senti-me melhor porque evita os cavalinhos. As MotoGP têm naturalmente muita electrónica, mas mesmo assim a roda da frente está sempre a perder o contacto com o solo quando temos mais potência, por isso é sempre melhor, esta carenagem pode ajudar-me a ter melhor aceleração e velocidade. Outra coisa boa é que esta nova carenagem permite-me ter um melhor anti-wheelie sem grande perda em velocidade máxima. Sofri uma queda hoje, mas sem consequências, estou bem.»

Alex Rins
8. Cal Crutchlow – LCR Honda Castrol (85 voltas, 1’30.490)

«Para ser sincero, não tivemos um grande dia, tivemos alguns problemas que não nos permitiram rodar com todo o potencial durante a manhã. Não consegui estabelecer um bom tempo por volta porque tínhamos muitas coisas para testar. Mas de um modo geral estou satisfeito, com os pneus usados e ao longo do dia ficámos satisfeitos com o ritmo. Se amanhã fosse um dia de corrida acho que poderia lutar pelo pódio, mas não conseguimos aquela volta rápida que alcançámos ontem. Estou confiante de que, se precisássemos, ou se eu tivesse tido oportunidade, teríamos conseguido baixar para 1’29. Mas não estou preocupado neste momento, temos apenas que continuar a trabalhar.»

Cal Crutchlow
9. Andrea Dovizioso – Ducati Team (78 voltas, 1’30.494)

«Hoje trabalhámos muito, fazendo comparações com as novas versões da carenagem e do quadro, e estou satisfeito por ter tido um dia inteiro para testar estes novos componentes. Como sempre, há prós e contras, mas felizmente estivemos fortes com o novo material e isso é muito positivo. Fomos rápidos sem usar o pneu mais macio, mas aqui os tempos por volta são ainda mais difíceis de interpretar do que na Malásia, especialmente porque a Michelin não tem experiência nesta pista, e por isso parece que os pneus mais indicados para a corrida serão os mais duros, muito semelhantes aos que usámos no GP da Áustria. Não á fácil interpretar o nível dos outros pilotos, mas hoje a nossa moto provou estar muito competitiva.»

Andrea Dovizioso
10. Jorge Lorenzo – Ducati Team (57 voltas, 1’30.729)

«Hoje mais uma vez não foi um dia muito positivo para mim. Não fomos suficientemente competitivos, não tenho boas sensações com a minha moto e ainda tenho que compreender porquê. Embora possa parecer que estou a pilotar melhor nalguns pontos da pista, os outros pilotos estão ainda melhores e por isso estamos um pouco para trás no tem por por volta. No entanto temos algumas ideias para amanhã que nos deverão ajudar a resolver esses problemas e a melhorar o meu ritmo, acima de tudo.»

Jorge Lorenzo. A Ducati também testou novas soluções aerodinâmicas