Mundial de SBK: últimos testes e as novas regras

O circuito de Phillip Island recebeu os últimos testes de pré-temporada do Mundial de Superbike e será também palco da primeira ronda do calendário, já este fim-de-semana. Este ano há novo regulamento técnico.

186
Jonathan Rea

A poucos dias do arranque do Mundial de SBK na Austrália, decorreram durante dois dias no circuito de Phillip Island os últimos testes de pré-temporada.

Com as equipas a trabalharem afincadamente na preparação do início de uma temporada com novos regulamentos técnicos, pouco parece ter mudado. Apesar de uma aparatosa queda no primeiro dia, o campeão do mundo Jonathan Rea averbou o melhor tempo. O piloto da Kawasaki rodou abaixo do record da volta mais rápida em corrida – 1’30.949 – pertecente a Chaz Davies desde 2014, mas não conseguindo igualar o seu próprio recorde da pole, conseguido no ano passado, 1’29.573.

«Apesar de a pista não estar nas melhores condições esta tarde conseguimos fazer uma simulação completa de corrida e agora estamos equipados com essa informação para melhorar a base da moto para a corrida», explicou Jonathan Rea. «Infelizmente ontem sofri uma grande queda na curva 11 e dei aos meus mecânicos muito trabalho. Têm estado a trabalhar até muito tarde e muito arduamente nestes testes, e estou-lhes muito grato pelo seu esforço. Um agradecimento especial também à Arai, Alpinestars e ao fisioterapeuta Albert, porque hoje acordei a sentir-me relativamente ok!»

Jonathan Rea

Melandri próximo

O segundo melhor tempo dos testes foi para Marco Melandri, com a sua melhor volta efectuada logo na manhã do primeiro dia «Foram dois dias intensos de testes, nos quais melhorámos em muitos aspectos. Reunimos muita informação, mas hoje não foi fácil, porque as condições da pista mudaram mais uma vez, em comparação com ontem, e mais uma vez debatemo-nos com problemas de estabilidade, especialmente na recta da meta. Os nossos tempos são competitivos, mas precisamos de melhorar mais para ser mais consistentes em toda a distância de corrida. As corridas aqui são sempre muito tácticas, por isso é difícil fazer previsões, mas estamos muito motivados e com vontade de começar», disse o piloto da Aruba.it Racing Ducati.

Marco Melandri

Tom Sykes foi o terceiro melhor no final dos testes. O britânico também sofreu uma queda no primeiro dia e magoou-se no tornozelo, que causava grande desconforto. «Fiquei em terceiro na tabela de tempos, mas estou contente», confessou Sykes. «Estou ainda mais feliz, se considerar a minha condição física depois da queda de ontem. Muito obrigado à malta na box que trabalhou até quase de manhã para tudo estar pronto para hoje. Deram outra grande moto. Tenho que agradecer à Shark e à Dainese pelo meu equipamento de protecção, e ao airbag também, já que dei umas quantas cambalhotas pela gravilha na queda de segunda-feira.»

Tom Sykes

Laverty mais confiante

A Aprilia completou um lote de três motos diferentes no topo da tabela de tempos, com Eugene Laverty – que também acrescentou uma queda ao currículo – a ficar a menos de meio segundo de Rea, no quarto lugar. «Fizemos um bom teste, de modo geral, progredimos em ambos os dias e recolhemos muita informação. Na segunda-feira a moto não me parecia bem e tive algumas dificuldades, mas o pessoal trabalhou muito e nas saídas seguintes transformaram a moto. Creio que a chave aqui foi a continuidade com a equipa e os dados, e compreender a Aprilia cada vez mais. A terça-feira foi um dia fantástico e terminámos em 4.º. Na sessão da manhã saí com pneus usados e fiz o melhor tempo, o que foi inesperado, e mantivemos um bom ritmo ao longo do dia. Claramente estamos melhores do que no ano passado, e sinto-me muito mais confiante na moto», disse Laverty.

Eugene Laverty

As novas regras das SBK

Para tentar equilibrar a competição foram introduzidas alterações ao regulamento técnico das superbike para 2018.

Por um lado foi adoptado um regime máximo de rotações, que não é igual para todas as motos: este limite é calculado com base num algoritmo e individualizado para cada construtor; por exemplo, limite máximo de rotações do motor da Kawasaki é de 14 100 rpm, o mais baixo de todas as tetracilíndricas presentes no campeonato; o limite da bicilíndrica Ducati é de 12 400 rpm.

O algoritmo usado para calcular o limite de rotação tem em conta muitos factores: o tempo por volta comparado com o das rivais, velocidade máxima, número de pilotos a usar essa moto, prestação individual de cada piloto, resultados das corridas (as realizadas à chuva não contam), o tempo de corrida, número de voltas no comando da corrida, as alterações causadas nos vários parâmetros após cada alteração do limite, o reflexo nos resultados após alterações, e peças de concessão.

A cada três rondas este limite de rotação pode ser alterado tendo em conta esses factores. Este é o limite imposto a cada construtor para o início da temporada:

Construtor Limite de rotações (rpm)
Aprilia 14 700
BMW 14 700
Ducati 12 400
Honda 14 300
Kawasaki 14 100
MV Agusta 14 700
Suzuki 14 700
Yamaha 14 700

Pontos de concessão e preços controlados

Para além disso, há ainda um sistema de ‘pontos de concessão’, de modo a limitar o desenvolvimento das motos mais rápidas. Ao longo da temporada, as equipas que obtiverem menos ‘pontos de concessão’ poderão usar novos componentes aprovados.

Em cada corrida são atribuídos 3 pontos de concessão ao primeiro classificado, 2 ao segundo e 1 ao terceiro; logo ao fim das três primeiras rondas os construtores que tiveram 9 ou mais pontos a menos que o construtor com mais pontos de concessão tem direito a fazer um upgrade das peças de concessão; no final do ano, quem tiver 36 ou mais pontos de atraso para o construtor com mais pontos de concessão, pode actualizar a sua lista de peças para a temporada seguinte.

A somar a isto foi ainda estabelecido um limite de preço para componentes como suspensões ou alguns componentes do motor, de modo a assegurar que mesmo as equipas mais modestas têm acesso ao mesmo material que as oficiais.

O campeonato começa já este fim-de-semana em Phillip Island.

Melhores tempos dos dois dias de testes