Mundial de Superbike com novo regulamento

Jonathan Rea, MBE e tri-campeão mundial

Em Jerez de la Frontera algumas equipas do Mundial de Superbike estão a testar desde a segunda-feira, em preparação da temporada de 2018.
O regulamento técnico das superbike foi alterado para o próximo ano, com o objectivo de tornar a categoria mais competitiva, e esta foi a primeira oportunidade para as equipas trabalharem com as especificações do próximo ano.
As principais alterações dizem respeito há existência de uma lista de peças para o motor ’concessionadas’ às equipas privadas pelas oficiais – com as mesmas especificações -, e uma lista de peças ‘aprovadas’ para a ciclística ao dispor de qualquer privado, com preço pré-estabelecido; para além disso há ainda a imposição de um limite no regime máximo de rotações, que varia de marca para marca. As alterações visam eliminar as diferenças entre as motos oficiais e as privadas.
O limite de rotação será imposto electronicamente, depois de calculada a média do regime máximo em terceira e quarta velocidades no banco de ensaio. O limite máximo aceite será depois estabelecido 3% ou 1100 rpm – o factor que providenciar o limite mais baixo – acima da média do calculado na moto de produção.
Para manter o equilíbrio ao longo da temporada, foi concebido um algoritmo que terá em conta diversos factores – como comparações de tempos por volta entre as diferentes motos, velocidade máxima, número de pilotos por marca, resultados das corridas, etc. – que levará, caso seja necessário, a ajustes a esse limite máximo de rotações em cada marca de três em três corridas.
Este são os limites de rotação já estabelecidos para as motos actualmente homologadas:

Aprilia: 14 700 rpm
BMW: 14 700 rpm
Ducati: 12 400 rpm
Honda: 14 300 rpm
Kawasaki: 14 100 rpm
MV Agusta: 14 700 rpm
Suzuki: 14 700 rpm
Yamaha: 14 700 rpm

Em Jerez estiveram a Kawasaki Racing Team (Jonathan Rea e Tom Sykes), Althea Racing BMW (Loris Baz), Milwaukee Aprilia (Eugene Laverty e Lorenzo Savadori), JG Speedfit Kawasaki (Leon Haslam e Luke Mossey), MV Agusta Reparto Corse (Jordi Torres) e a Orelac Racing Kawasaki (Leandro Mercado e Nacho Calero). Estava também prevista a presença da Kawasaki Puccetti Racing, mas a morte do pai de Toprak Razgatlioglu – que em 2018 se estreia nas SBK – na semana passada levou à ausência do piloto turco nestes testes.
Depois destas vieram outras equipas do Mundial de Superbike (Ducati Aruba, Barni Racing, Crescent Yamaha e Team Kate) a quem se juntaram hoje algumas equipas de MotoGP (Ducati Team, Reale Avintia Racing, Octo Pramac Racing, Red Bull KTM Factory Racing, LCR Honda, Team Suzuki Ecstar e Marc VDS), que ficarão no circuito andaluz em testes privados até sexta-feira.

Tempos do primeiro dia aqui, e do segundo aqui.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.