MotoGP: Valentino Rossi renova por mais dois anos

147
Valentino Rossi
Lin Jarvis, Valentino Rossi e Massimo Meregalli

Que fiquem descansados os fãs de MotoGP. Valentino Rossi decidiu continuar a correr e renovou com a Yamaha por mais dois anos.

Isto significa que o piloto italiano,a gora 39 anos de idade, continuará no campeonato pelo menos até ao final de 2020, ano em que cumprirá a sua 24.ª temporada de Mundial.

Na conferência de imprensa prévia ao primeiro grande prémio da temporada, no Qatar, o piloto italiano teve que inevitavelmente no assunto e explicou porque decidiu continuar a correr: «Estou contente. Há dois anos, quando assinei o actual contrato pensei ‘pode ser o último, ou não, decidirei durante estes dois anos’. Na minha mente a ideia era muito clara. Eu queria continuar, o desafio é muito alto, porque ficar competitivo a este nível é cada vez mais difícil. Mas eu acho que tenho força suficiente e motivação para tentar».

Rossi já tinha dito no ano passado que só este ano decidiria sobre o seu futuro, e a decisão surgiu deposi dos testes: «No final da temporada passada conversei com a Yamaha e disse-lhes que decidiria nos testes de Inverno. Se fosse capaz de sobreviver aos testes de Inverno, então assinaria. Os testes foram bons, ficámos todos muito próximos, embora alguns dias tenhamos sofrido. Gosto da moto, sinto-me confortável e rápido, embora tenhamos ainda muito trabalho pela frente. Por isso decidi depois dos testes.»

Motivação para correr até aos 41… pelo menos

O novo contrato significa que Valentino Rossi vai correr até aos 41 anos de idade. E se afinal nos próximos três anos ele já não for tão competivivo como antes? «É possível. Vi grandes pilotos, e nos carros também, pararem quando estavam no pico da sua carreira, como Schumaker, Biaggi ou Bayliss, mas acho que ninguém ficou feliz com isso. Por isso Schumaker e Bayliss regressaram às pistas e eu decidi correr até ao final. Não quero no futuro pensar ‘ah, se calhar podia ter feito mais duas temporadas’… mas pode ser um risco, sim. Mas se pensasse assim já tinha parado há seis, sete ou oito anos.»

Valentino Rossi parece manter a garra de sempre, e sente-se em casa na Movistar Yamaha, quando está prestes a entrar na 13.ª temporada com o construtor Japonês. «Ter a oportunidade de trabalhar com a minha equipa, o Silvano [Galbusera, chefe de mecânicos], o Matteo [Flamigni, técnico de dados] e todos os meus mecânicos e com todos os engenheiros japoneses, Tsuji-san [Kouichi Tsuji, Presidente da YMR] e especialmente Tsuya-san [Kouiji Tsuya, project leader da M1], é um prazer. Estou feliz», conclui o Dottore.

Para a Movistar Yamaha são também boas notícias. Depois de ter assegurado a continuidade de Maverick Viñales também até ao final de 2020, a equipa japonesa pode agora concentrar-se na competição, num ano em que o mercado de pilotos vai aquecer. Por isso Lin Jarvis, managing director da Yama Motor Racing estava naturalmente contente: «A confirmação da extensão do acordo do Valentino por mais dois anos com a Yamaha é uma excelente maneira de arrancar a temporada de 2018. As notícias podem não ser uma grande surpresa porque o Valentino demonstrou claramente que queria continuar a correr, mas a reconfirmação será certamente bem vinda pelos seus mmilhões de fãs em todo o mundo.»Valentino Rossi