GP da Argentina: um mágico Miller

Jack Miller deu espectáculo em Termas de Rio Hondo e conseguiu a sua primeira pole position na categoria rainha.

83
GP da Argentina
Jack Miller

A qualificação do GP da Argentina ficou marcada pela volta alucinante de Jack Miller que lhe deu a sua primeira pole em MotoGP.

As condições climatéricas em Termas de Rio Hondo estiveram complicadas este sábado; dia cinzento e chuva intermitente, com a pista meio seca, meio molhada.

Por isso todos os pilotos rodaram com pneus de chuva. Até que Jack Miller arriscou sair com slicks quando já havia nalgumas zonas uma trajectória seca bem definida. Para além do australiano também Marc Marquez e Cal Crutchlow arriscaram sair com slicks. Mas ambos regressaram imediatamente às boxes para voltar a sair com pneus de chuva.

Opinião diferente teve Miller, que continuou com slicks. Com duas voltas alucinantes, e com a moto a querer atirar com ele ao ar nas curvas onde a pista estava mais molhada, Miller aguentou o desafio e venceu a aposta. O australiano conseguiu a sua primeira pole position em MotoGP.

Miller acabou por tirar a pole das mãos de Dani Pedrosa, que parecia ter a pole garantida perto do final. O espanhol também uma moto preparada com pneus slicks, mas preferiu não arriscar. O mesmo aconteceu com Johann Zarco, que preferiu não sair com slicks e apostou em rodar no limite com os pneus de chuva, terminando em terceiro.

Depois de ter surpreendido na sexta-feira com o quarto lugar a seco, Tito Rabat voltou a dar nas vistas no molhado, ao garantir a quarta posição. Foi a melhor qualificação do espanhol até agora em MotoGP. Quem conseguiu também a sua melhor qualificação até agora foi Alex Rins, que terminou em quinto.

Marquez tentou, mas arrependeu-se

Marc Marquez, que tinha liderado as sessões anteriores, em seco e molhado, falhou a aposta nos slicks; voltou a rodar com pneus de chuva, mas sem arriscar demasiado, preferindo pensar na corrida. Sairá do sexto lugar da grelha.

Mais para trás ficou Andrea Dovizioso, em oitavo, depois de ter que passar pela Q1 ao ter sido apenas 15.º nos treinos livres. Mas pior ficou o seu companheiro de equipa. Jorge Lorenzo também teve que passar pela Q1. O espanhol tinha o segundo melhor tempo no final, e quando pensava que tinha passado à Q2, Aleix Espargaró fez o melhor tempo da sessão e empurrou o espanhol para terceiro. Lorenzo seria ainda batido por Karel Abraham, terminando a Q1 em quarto. Por isso sairá do 14.º lugar da grelha.

Valentino Rossi e Maverick Viñales continuam com problemas de aderência no molhado e floram 11.º e 9.º, respectivamente.

1. Jack Miller– Alma Pramac Racing (1’47.153)

«É uma grande satisfação e por isso quero agradecer à equipa; fizeram um grande trabalho quer durante os testes de Inverno, quer nestes dois primeiros fins-de-semana de corrida. Senti-me confiante para sair com os slicks. Não foi fácil, especialmente nas duas curvas que ainda estavam molhadas. Pensei ‘é altura de apostar tudo’. Foi a escolha certa e por isso estou mesmo muito feliz.»

GP da Argentina
Jack Miller
2. Dani Pedrosa– Repsol Honda Team (1’47.330)

«Que sessão! Foi muito apertado e complicado devido às condições mistas. Quando parou de chover a pista começou a secar rapidamente e formou-se uma trajectória seca, excepto na curva oito, que estava completamente molhada, e a última, que também estava muito molhada. O Jack fez uma pole incrível com pneus slicks. Depois da minha primeira saída, que não foi perfeita, pensei em trocar para slicks, mas no final decidi continuar com os pneus de chuva e puxar ao limite. Consegui fazer uma boa volta e estou muito feliz com o resultado, porque estar na primeira fila será importante amanhã, embora, honestamente, ainda seja difícil saber que pneus usaremos na corrida. Hoje tivemos tantas condições diferentes, que não rodámos muito com nenhuma das opções, por isso teremos que ver o que acontece.»

GP da Argentina
Dani Pedrosa
3. Johann Zarco– Monster Yamaha Tech3 (1’47.365)

«Tinha as duas motos preparadas para o ataque ao cronómetro, uma com slicks e a outra com pneus de chuva. Vi os outros saírem com slicks, mas as curvas sete e ooito estavam demasiado molhadas, por isso era complicado. Tentei esperar e ver nesse sector como o Jack passava, mas tive que decidir rapidamente antes de ser tarde demais. Escolhi os pneus de chuva, porque me sentia mais confortável, mesmo com a pista a secar. Puxei bastante. Não penso que fosse possível eu fazer o mesmo que o Jack com os slicks. Tenho outra oportunidade para começar bem amanhã, e mesmo com as condições difíceis durante os treinos, espero ter informação suficiente para preparar o warm up e ficar pronto para a corrida.»

GP da Argentina
Johann Zarco
4. Tito Rabat– Reale Avintia Racing (1’47.681)

«Estivemos perto de ficar na primeira linha, mas mesmo o quarto lugar é muito mais do que eu podia esperar. Estou muito contente com a Ducati e com a equipa, e neste momento as coisas não podiam estar melhores. Tivemos dois grandes dias aqui e quase nem consigo acreditar no que conseguimos alcançar. Mas a corrida é no domingo, e é preciso manter os pés no chão e manter a concentração, para resultar tão bem como hoje e ontem. Hoje tenho que relaxar e pensar na corrida. É bom que tenhamos sido rápidos também tanto a seco como molhado, por isso estamos preparados para qualquer tipo de tempo.»

GP da Argentina
Tito Rabat
5. Alex Rins– Team Suzuki Ecstar (1’47.743)

«Estou muito feliz porque esta posição de qualificação é o meu melhor resultado em MotoGP. E estou animado porque não esperávamos um resultado assim nestas condições, foi muito difícil ser rápido … mas nós conseguimos, por isso estou feliz! Slicks eram impossíveis porque todo o terceiro setor estava muito molhado. Mas estou ansioso pela corrida de amanhã, arrancando da segunda linha.»

GP da Argentina
Alex Rins
6. Marc Marquez– Repsol Honda Team (1’47.754)

«Foi um dia muito complicado, mas em geral muito positivo. A qualificação não foi como esperado, mas não estamos assim tão longe. Sofri um pouco na primeira saída com pneus de chuva e não sei porquê, porque tanto na FP3 como na FP4 deram-me sensações muito boas. Decidi experimentar slicks, mas era demasiado arriscado. Assim que saí da box, percebi que se tocasse no asfalto molhado, o risco era muito grande. Quando passei pelas curvas sete e oito pensei que conseguir a pole é importante, mas a corrida é amanhã e voltei para a box. É uma pena não estar na primeira linha, mas estou feliz porque fizemos um bom trabalho. Ontem, a seco, fomos competitivos e também hoje no molhado. Prefiro condições secas para a corrida, mas em caso de chuva estamos preparados. Veremos que tempo teremos amanhã e em que condições estará a pista.»

GP da Argentina
Marc Marquez
7. Aleix Espargaró– Aprilia Racing Team Gresini (1’47.845)

«Estou obviamente satisfeito. Depois do trabalho que fizemos, com muitas mudanças, a moto está a funcionar muito melhor do que ontem, por isso na Q1 senti-me muito bem naquelas condições da pista. Estou convencido de que se tivesse sido capaz de usar um pneu novo para o final, teria sido fácil lutar pela pole ou pela primeira linha. Mas como tive que fazer a Q1, não tinha outro pneu e estes pneus de chuva aquecem facilmente quando a pista seca. Por isso fui forçado a alternar uma volta rápida com uma volta lenta para os arrefecer. Mas tudo bem; faz parte das corridas e a terceira fila é um bom ponto de partida para a corrida. A Aprilia é uma moto que conserva bem o pneu traseiro e tem muita aderência mesmo no final da corrida. Gosto da pista e amanhã na corrida poderemos levar para casa um bom resultado.»

GP da Argentina
Aleix Espargaró
8. Andrea Dovizioso– Ducati Team (1’48.247)

«Hoje a situação não foi nada fácil, porque havia algum chovisco em algumas partes da pista e o piso ficava muito complicado. Esta manhã fizemos um bom trabalho para trabalhar com calma e esta tarde, apesar dos problemas com as escorregadelas nas curvas, fiz duas boas sessões de qualificação depois de usar os mesmos pneus de chuva na Q1 e na Q2, e estou feliz por começar da terceira linha amanhã. Com condições de chuva, o meu set-up é muito bom, mas muito depende da quantidade de água na pista, se chover amanhã e parece que vai mesmo chover. Estou muito satisfeito com o trabalho que minha equipa fez, porque apesar de um dia difícil ontem, conseguimos reverter a situação hoje.»

GP da Argentina
Andrea Dovizioso
9. Maverick Viñales– Movistar Yamaha MotoGP (1’49.044)

«Hoje foi difícil. Sempre sofremos no molhado e neste momento não estamos ao mesmo nível dos nossos principais rivais. Temos que continuar a trabalhar na afinação da moto e continuar a melhorar no molhado. Temos trabalho a fazer durante esta temporada, de modo a ser fortes, e sei que posso melhorar muito, por isso teremos que continuar a trabalhar nas melhorias da aderência, ser m ais competitivos, e veremos amanhã. Esperamos uma corrida seca, para nós era muito melhor.»

GP da Argentina
Maverick Viñales
10. Cal Crutchlow– LCR Honda Castrol (1’49.304)

«Estou desapontado, devíamos estar na primeira linha, e é isso que interessa. Claro que não estou contente, cometemos um erro táctico como equipa, não é culpa de ninguém e eu não que tinha que sair com aquela moto. Mas o problema é que quando regressei à pista e estava bem na minha volta, mas quando cheguei à água com os pneus slicks estava demasiado escorregadio e perdi dois segundos. Tão simples quanto isso. Tentámos uma solução arriscada com os slicks e não foi a mais acertada, e temos que aceitar isso. Estamos em 10.º na grelha e dizer que estou desapontado é pouco, já que devíamos estar na frente, não há dúvidas disso, porque temos o ritmo para sermos competitivos quer a seco quer em molhado.»

GP da Argentina
Cal Crutchlow
11. Valentino Rossi– Movistar Yamaha MotoGP (1’49.326)

«Foi um dia difícil para mim, porque nestas condições – quando temos que sair com pneus de chuva, mas o asfalto está a secar – tenho muitos problemas. Não posso puxar, porque sempre que tento sinto a frente fechar. No final da qualificação tentei suavizar a volta, consegui melhorar o meu tempo, mas mesmo assim não foi o suficiente para estar com os da frente. Temos que trabalhar, mas especialmente temos que esperar que amanhã esteja completamente seco ou completamente molhado, porque assim sinto-me bastante confortável, mas nestas condições de meio seco, meio molhado será muito difícil. A minha preferência é completamente seco, com certeza, porque assim tenho um bom ritmo para fazer uma boa corrida.»

Valentino Rossi
GP da Argentina
12. Andrea Iannone– Team Ecstar Suzuki (1’49.975)

«Hoje o Alex pôde ir ao limite durante a qualificação, mas quando saí da box com o pneu macio não tinha qualquer feeling, por isso decidi trocar e com o médio ficou muito melhor, consegui ir um pouco mais rápido e comecei a melhorar. Eu preciso perceber algumas das sensações estranhas, quando às vezes a moto se move muito. Fizemos algumas melhorias, mas os outros melhoraram incrivelmente, e eu sofri um pouco. Amanhã vamos ver, é uma pena começar tão atrás na grelha, porque temos boas sensações nesta pista em condições “normais”, a seco. Mas acho que temos uma boa moto e vamos tentar amanhã uma boa corrida.»

GP da Argentina
Andrea Iannone

Todas as classificações aqui.