GP da Argentina: Oliveira regressa ao pódio

Com uma pista meio seco, meio molhada, Termas de Rio Hondo proporcionou boas corridas de Moto2 e Moto3. Mattia Pasini venceu e Miguel Oliveira esteve na frente e terminou no pódio. Em Moto3 Marco Bezzecchi dominou e estreou-se nas vitórias

GP da Argentina
Miguel Oliveira

Mattia Pasini esteve de ‘faca’ nos dentes desde o início da corrida e assegurou a vitória em Termas de Rio Hondo, depois de uma grande luta com Miguel Oliveira. O piloto português regressou ao pódio ao conquistar o terceiro lugar.

A corrida de Moto2 em Termas de Rio Hondo começou com a pista ainda a secar, e por isso todos os pilotos sairam com pneus slick.

Xavi Vierge aproveitou bem a pole position para assumir o comando inicial da corrida, mas melhor arranque fez Miguel Oliveira. O piloto da KTM chegou à primeira curva em terceiro, e esteve a partir daí sempre na luta pelo comando.

A luta foi quente na frente, formando-se um grupo de quatro pilotos. Mattia Pasini chegou depressa ao comando, sempre acompanhado de Miguel Oliveira, Xavi Vierge e Lorenzo Baldassarri.

Houve inúmeras trocas de posições neste grupo, e Miguel Oliveira passou um par de vezes pela liderança da corrida. Pasini, com a agressividade de sempre, acabou por sempre por recuperar o comando, chegando a forçar Miguel Oliveira para fora de trajectória. Com Miguel a ter que cortar gás, por vezes perdeu mais do que uma posição. No final a vitória foi discutida entre Pasini, Oliveira e Vierge. O italiano consegui defender o seu comando e obteve a sua segunda vitória em Moto2, com Xavi Vierge a terminar em segundo e Miguel Oliveira a regressar ao pódio na terceira posição.

«Acho que deixei demasiado ‘a porta aberta’ em alguns momentos da corrida. Sabia que era uma corrida sem grandes zonas de ultrapassagem», disse Miguel Oliveira.
«Senti-me bastante forte, o meu ritmo e velocidade estavam lá, mas acho que talvez as minhas trajetórias não tenham sido suficientemente defensivas e também tive a infelicidade de ser tão empurrado para fora e perder muito tempo; a três voltas do fim, o [Xavi] Vierge também me passou e não houve muito que pudesse fazer. Ainda assim é um desfecho bastante positivo, levamos muitos pontos para casa, começamos a voltar à nossa performance normal e estou feliz por conseguir este pódio», concluiu.

Francesco Bagnaia, que chegou à Argentina como líder do campeonato, não foi além de 9.º na corrida. Sem confiança na afinação, Bagnaia conseguiu ainda recuperar algumas posições depois de arrancar de 15.º, mas perdeu o comando do campeonato.

Mattia Pasini é o novo líder da tabela de pontos, e Miguel Oliveira mantém o quinto posto no campeonato.

Moto3 – A primeira de Bezzecchi

A corrida de Moto3 foi a primeira do dia, e a pista estava ainda relativamente molhada antes da partida. Mesmo assim, Toni Arbolino, detentor da pole position, optou pelos pneus slick; o mesmo fez Marcos Ramirez. Nicolo Bulega e Nakarin Atiratphuvapat escolheram uma combinação diferente: pneu de chuva à frente e slick atrás. Na volta de aquecimento, Jorge Martin e Phillipp Oettl, que alinharam com pneus de chuva, entraram nas boxes para trocar para slicks.

Porém Marco Bezzecchi dominou a corrida. Assumiu a liderança na primeira volta, aumentou a sua vantagem e desapareceu no comando. O italiano conseguiu a sua primeira vitória no Mundial.

GP da Argentina
Marco Bezzecchi

«Nem sei o que dizer. Foi a minha primeira vitória em Moto3 e isso deixa-me incrivelmente orgulhoso e feliz», desabafou o italiano de 17 anos.

«Na partida foi logo ‘all in’ porque queria vencer. Claro que foi um jogo nervoso na grelha, mas não me preocupei e concentrei-me no meu objectivo. Não ganhei sozinho, estamos no Campeonato do Mundo, onde necessitamos de alta precisão e todas as engrenagens têm funcionar em conjunto.»

Aron Canet e Fabio di Giannantonio completaram o pódio depois de uma grande batalha com Enea Bastianini, Jaume Masia e Adam Norrodin.

Quando começou a fazer funcionar os slicks Jorge Martin, foi recuperando posições. Beneficiando também de algumas quedas, o piloto espanhol terminou em 11.º e perdeu o comando do campeonato. É Aron Canet quem está agora no topo da tabela de pontos