Dakar – 5.ª etapa: as fotos e as declarações

121
Joan Barreda

A classificação geral do Dakar voltou a sofrer alterações significativas após a quinta etapa. Graças à vitória, Joan Barreda recuperou tempo e posições para os da frente, mas Arien van Beveren continua a lidera. O maior ‘tombo’ em termos de classificação terá sido o de Pablo Quintanilla, já que o piloto da Husqvarna desceu de 2.º para 9.º.

Os primeiros cinco dias de provas foram, tal como prometido pela organização, muito duros. Agora que se acabam as dunas com a entrada na Bolívia, veremos o que a diferença no terreno poderá significar em termos de prestações. Pelo menos para já parece haver um certo equilíbrio nas forças em jogo, com três motos diferentes nas três primeiras posições. E continuamos a ter os seis primeiros separados por 10 minutos.

1. Joan Barreda (4.º da geral): «Eu sabia que hoje ia ter que lutar para recuperar tempo, já que esta era a última etapa nas dunas. Dei tudo, a alta velocidade, e correu bem. Consegui recuperar alguns minutos e estamos de novo dentro dos 10 primeiros, o que nos deixa praticamente com as mesmas opções do primeiro dia. Isto é realmente importante e espero ter a oportunidade de recuperar ainda mais tempo.»

2. Matthias Walkner (3.º da geral): «Foi um dia extenuante. Disseram que este Dakar ia ser um dos mais duros de sempre e certamente está a ser o Dakar o mais duro para mim. Depois de ter arrancado em terceiro dei o meu melhor para seguir os pilotos da frente; é sempre um jogo entre navegar por ti próprio e escolher o teu próprio caminho ou apenas seguir os rastos no chão e arriscar um pouco. Hoje realmente tentei puxar, mas mantive um olho no roadbook e felizmente tudo correu bem. Depois de cinco dias a andar de moto, estou a senti-me um pouco dorido. Sofri uma pequena queda e magoei-me ligeiramente, e isso também não ajudou. Ainda há um longo caminho a percorrer e até agora as coisas têm corrido bem. A minha moto tem estado perfeita e o meu ritmo tem sido suficientemente bom. Preciso apenas de manter a concentração e espero que a Bolívia e a Argentina também sejam boas para nós. Há apenas um minuto a separar os três primeiros, por isso está tudo muito renhido.»

3. Kevin Benavides (2.º da geral): «A ideia era sair ao ataque e coreu bem, mas tive um pequeno problema com o combustível e demorei algum tempo a resolvê-lo. Arranquei e puxei forte, até que apanhei um susto e então encarei as coisas com mais calma. Terminei em terceiro e foi uma boa etapa, mas dura. As dunas eram muito macias e havia muito fesh-fesh e a segunda especial foi arruinda pelos carros e camiões que passaram antes de nós.»

4. Antoine Meo (7.º da geral): «Tive um dia muito bom, hoje. O ritmo foi realmente rápido e consegui apanhar o Toby [Price] perto do início da etapa. Rodámos juntos durante algum tempo, e isso ajudou muito. Falhámos um waypoint perto do final e tivemos que voltar para trás, mas perdemos apenas alguns minutos. É o meu melhor resultado até agora e subi para 7.º da geral, por isso estou bastante felliz.»

5. Adrien van Beveren (1.º da geral): «Estou realmente contente com a minha pilotagem hoje. Foi uma etapa difícil e nalgumas zonas a areia era tão macia que as motos afundavam-se. Rodei com o Xavier [de Soultrait] e ajudámo-nos mutuamente quando foi necessário. Estou contente com este espírito de equipa, e isto é realmente importante numa corrida tão longa. Tentei puxar forte na areia. Havia partes onde era muito difícil mantermo-nos de pé, mas tudo correu bem para mim. A minha WR450F Rally está a funcionar na perfeição até agora. Estou contente por termos continuado na frente de todos os outros, e isso prova que somos fortes enquanto equipa e também cada um de nós individualmente. A corrida é longa e eu vou continuar a puxar.»

6. Xavier de Soultrait (5.º da geral): «Estou realmente contente com o modo como as coisas estão a correr neste Dakar. Hoje senti que rodei mais uma boa etapa e consegui manter-me muito perto dos pilotos da frente na classificação geral. Rodei com o Adrien [van Beveren] na primeira parte da etapa e abrimos a pista durante a especial.  Foi uma grande sensação liderar a especial e penso que nos saímos muito bem, tendo em conta que tivemos que descobrir o caminho pelas dunas. Estou contente por não ter cometido erros e estamos ambos bem classificados na geral. A corrida é longa e o meu objectivo é manter-me concentrado nas próximas etapas.»

16. Pablo Quintanilla (desceu de 2.º para 9.º da geral): «Foi uma dia duro para mim. Sabíamos que ia ser um dia complicado de navegação. Iniciei a especial com cautela, mas cinco quilómetros antes do final da especial tive um pequeno problema técnico que me fez perder muito tempo. Estou contente por ter conseguido resolver esse problema e ter terminado a etapa. Não foi o nosso melhor dia, mas ainda há muita corrida pela frente. Nada está ainda perdido e continuarei a dar o meu melhor.»