Dakar 2018: Team Hero Motosports

Joaquim Rodrigues e CS Santosh

O 40.º Dakar arranca no dia 6 de Janeiro, no Peru. Ao longo do fim-de-semana iremos apresentar os principais protagonistas.

Outras equipas: Red Bull KTM Rally Factory Racing, Monster Energy Honda Team, Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing, Yamalube Yamaha Official Rally Team


A Hero Motosports estreou-se no Dakar em 2017, com um resultado de relevo: Joaquim Rodrigues levou a moto indiana ao 10.º lugar final – que depois seria ‘ajustado’ pela organização para um 12.º após um acerto nos tempos de prova.
A Hero Motosports é a divisão desportiva da Hero Motocorp, empresa indiana que fabrica motos e sccoter. Apesar de praticamente desconhecida deste lado do globo, a Hero Motocorp reivindica ser o maior construtor de mtos do mundo, tendo em 2006 entrado na lista das 200 mais respeitadas do mundo elaborada pela Forbes. A empresa começou como uma joint venture com a Honda nos anos ’80, por isso chegou a chamar-se Hero Honda, mas em 2010 a Honda decidiu sair, e os indianos compraram as acções dos japoneses.
A estreia absoluta da sua equipa de todo-o-terreno aconteceu em 2016, alcançando as 9.ª e 14.ª posições, com Joaquim Rodrigues e C.S. Santosh, que continuam a ser os pilotos da equipa.
A Hero Motosports conta com a preciosa parceria com a Speedbrain na sua equipa de todo o terreno, tirando todo o partido da empresa alemã neste tipo de provas.

Joaquim Rodrigues, depois de uma longa e muito bem sucedida carreira no motocross e supercross, virou-se depois para o todo-o-terreno e JRod seria o eleito pela Hero para pilotar a sua moto nas provas internacionais da modalidade. Depois de duas boas provas em Marrocos – 9.º no Rali de Merzouga e 14.º no OiLybia, fez a sua estreia no Dakar , onde regressa este com mais experiência acumulada noutras provas internacionais, somando mais resultados no Top 10 – incluíndo uma vitória em casa da equipa, a Baja India.

Joaquim Rodrigues, português, 36 anos
Palmarés no Dakar:
2017 – 12.º

C.S. Santosh tem no seu país um percursos semelhante ao de JRod em Portugal: o piloto indiano venceu tudo o que havia para vencer no supercross e motocross antes de virar atenções para o todo-o-terreno. Estreou-se no Dakar em 2015 e em 2016 particpou noutras provas internacionais, mas não chegou ao fim do Dakar. e em 2017 foi 47.

Santosh Chunchunguppe Shivashankar, indiano, 33 anos
Palmarés no Dakar:
2015 – 36.º
2016 – abandono na 4.ª etapa
2017 – 47.º

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.