Dakar – 10.ª etapa: as fotos e as declarações

103
Matthias Walkner

A 10.º etapa foi talvez a mais complicada deste Dakar até agora e talvez até dos últimos anos. Muito dura, mais do que as etapas de areia e dunas do Peru, longa, com piso traiçoeiro e navegação complicada.

Tudo isto resultou numa classificação inesperada, com um abandono de peso e um novo líder.

Adrien van Beveren preparava-se para consolidar o comando da prova, estando com uma vantagem considerável no comando da prova quando caiu perto do final da etapa. O piloto francês tentou continuar, mas não estava fisicamente em condições, e foi forçado a abandonar, com a clavícula direita partida.

Matthias Walkner, tal como van Beveren, não cometeu erros, conseguiu superar os truques da etapa e acabou por conseguir a sua primeira vitória desta edição.

Fasuto Mota terminou a etapa em 46.º e ocupa o 45.º lugar da classificação geral.

A etapa complicada, as exigências da navegação e alguns pontos complicados – com muitas quedas e muita gente a perder-se – levaram alguns pilotos a protestar no final do dia, queixando-se da falta de precisão do roadbook nalgumas zonas do percurso daquela que foi uma etapa que terá sido decisiva neste Dakar.

A 11.ª etapa será a segunda etapa maratona da prova.

1. Matthias Walkner (1.º da geral): «Que dia! Foi uma etapa tão dura, não só por causa do calor, mas também por causa da navegação. Eu sabia o quanto importante era hoje buscar um tempo e concentrar-me em encontrar todos os waypoints. É melhor perder alguns segundos a acertar as coisas do que forçar e depois perder mais tempo por nos perdermos. Quando os rastos dos da frente desapareceram, fiquei um pouco preocupado por achar que tinha cometido um erro, mas continuei e confiei em mim próprio. Foi um grande alívio quando vi o waypoint validado e cheguei ao final. É sempre bom conseguir uma vitória numa etapa, mas nunca é bom quando um dos nossos adversários cai. Espero que o Adrien van Beveren estaje abem. Temos uma etapa dura amanhã, por isso vou fazer o mesmo e tentar não cometer erros.»

2. Pablo Quintanilla (9.º da geral): «Foi um dia realmente duro. Mesmo antes da partida sabíamos que ia ser uma etapa complicada em termos de navegação, com muitas zonas de off-piste com erva-camelo. Também havia muitos rios e alguns deles eram paralelos com a rota certa. Depois dos meus resultados da etapa anterior na Bolívia, arranquei de uma boa posição, por isso concentrei-me na minha navegação e tentei recuperar algum do tempo perdido. Não queria puxar para além dos limites, já que sabia que era possível cometer erros. Esta estratégia resultou e conseguimos um bom resultado.»

3. Gerard Farrés Guell (4.º da geral): «Foi um dia muito complicado e desde o início sabia que ia ter muito trabalho para me manter com as motos de fábrica. No entanto, mantive a calma e tentei gerir a minha corrida, confiando cegamente na minha navegação e aplicando tudo o que aprendo com  nosso director, Miguel Puertas, incluindo técnicas de orientação usadas por pilotos de caça para navegar pelas núvens. Esta técnica, quando era difícil ler o terreno, ajudou-me imenso a chegar ao final sem cometer erros. Estou muito contente por entrar na luta pelo pódio, mas nada está ainda decidido e ainda temos dias complicados pela frente.»

Alexandre Kowalski (Yamalube Yamaha Official Rally Team Director): «Hoje, depois de uma alegria absolut, ficámos totalmente em baixo. O Adrien estava a seguir perfeitamente o plano que tínhamos traçado com o nosso director desportivo Jordi Arcarons e ele estava a fazer uma grande etapa. Perdeu algum tempo de manhã, mas foi melhorando ao longo do dia. Estava entre os primeiros pilotos a encontrar o caminho certo no rio onde muitos dos pilotos da frente se perderam, e com o Matthias Walkner estavam 49 minutos à frente dos restantes. A queda aconteceu a menos de 5 km do final. Esta foi uma jornada épica para o Adrien e nós estávamos todos com ele. Fizemos uma corrida de sonho, e o espírito da equipa estava óptimo. Infelizmente o Dakar é um evento tão duro que tudo pode mudar em segundos. Depois das primeiras observações médicas no hospital, parece que o Adrien fracturou a clavícula. Vai ficar sob observação e amanhã teremos informação mais concreta. A corrida continua para nós e estamos todos com o Rod no seu caminho para o final deste evento extremamente desafiante.»