Triumph Thruxton R

Com extensas alterações face à Bonneville "base" a Thruxton R é uma moto de imagem clássica com as qualidades e comportamento de uma desportiva. A moto perfeita para chegar depressa e em estilo.

199

A linha Bonneville foi totalmente renovada este ano e dela já vos mostrámos a versão T120 no mês passado. Guardámos para agora a mais divertida e cativante das Bonneville, a Thruxton R.

Embora assentado na mesma base de motor e quadro, a Thruxton R é uma moto radicalmente diferente das restantes Bonneville. Recebeu alterações importantes ao nível do motor e ciclística, que lhe mudaram radicalmente o comportamento. Esta é uma moto para quem gosta de andar um pouco mais depressa, mas mantendo um estilo clássico inconfundível.
Em 1958 a Triumph ganha a prova inaugural Thruxton 500, com o lendário Mike Hailwood. No ano seguinte é produzido um pequeno lote de 13 Bonneville T120 com “especificações Thruxton” feitas de fábrica para competição. Em 1965 é feita uma produção limitada de Bonneville Thruxton com homologação de competição, que dominaram o Thruxton 500 nos 5 anos seguintes. Os marcos históricos deste modelo incluem ter sido a primeira moto a realizar a volta da Isle of Man TT acima das 100 mph (aproximadamente 160 km/h), nas mãos de Malcolm Uphill.

Desportiva QB
O mais recente modelo da era moderna, procura eternizar estes feitos e qualidades, numa moto feita para os tempos de hoje e para a realidade que vivemos. Não é uma moto para bater recordes nem uma desportiva pura, sob os actuais standards. É uma moto com um comportamento desportivo que recorda os tempos de vitórias através de uma estética irrepreensível com detalhes verdadeiramente apaixonante, como o tampão de gasolina Monza em alumínio e o estreito depósito fixo com uma fita que corre ao longo do seu topo.
O seu desenho exala uma atitude desportiva bem marcada, respeitando os parâmetros de uma verdadeira café racer. Na versão “R” que testámos a Thruxton está equipada com suspensões de excepção, uma forquilha invertida Showa de 43 mm totalmente regulável e dois amortecedores Ohlins. Na travagem destacam-se os dois discos dianteiros com pinça radiais da Brembo. A versão base da Thruxton é mais simples, mas partilha com a “R” a mesma atitude com avanços agarrados aos topos da forquilha por baixo da mesa de direcção e pousa-pés recuados.


A atitude correcta

Ao sentar-nos na Thruxton, a posição com o tronco inclinado sobre a frente da moto e a perna flectidas e pés chegado para trás, liga no nosso espírito o ser mais irreverente que temos. É como um interruptor. Depois todos os detalhes que nos rodeiam levam-nos nesta direcção.
As prestações da Thruxton são o que se espera de uma moto moderna, com um carácter “sport”. Não é uma desportiva pura, o motor responde com determinação a partir das 3000 rpm e tem bastante mais fulgor que a Bonneville T120 em regimes mais elevados, mas apenas faz mais 500 rpm, acabando perto das 7000 rpm. Com 97 cv de potência máxima tem mais 17 que a irmã, e é na força dos médios regimes que encontramos as suas melhores qualidades.

Eficácia em estrada
O percurso pensado para esta apresentação contava com algumas das mais interessantes estradas localizadas entre o Guincho e Mafra, lentas e reviradas, as correctas para gozar as qualidades desta desportiva clássica. As suspensões são elementos que se destacam desde os primeiros momentos, com um trabalhar muito controlado e ao mesmo tempo macias. Filtram bem quase todas as irregularidades e mantêm de forma irrepreensível o movimento da Thruxton, mesmo quando o ritmo passa bem para lá do aconselhável. É uma moto capaz de um comportamento que nos permite estar entretidos durante muitos quilómetros de curvas. A distância entre eixos é bastante reduzida e isso sente-se nas rápidas mudanças de direcção e quando a frente demonstra vontade de levantar nas acelerações mais fortes à saída de curva. É um comportamento muito divertido e que se atinge sem termos de entrar em ritmos de condução excessivamente elevados.

Triumph Thruxton R

Cilindrada- 1200 cc
Potência- 97 cv
Binário: 112 Nm
Depósito- 14,5 lt
Peso- 203 kg
Preço- 15.200 €


Potência “saudável”

O motor acompanha estas qualidades com uma banda sonora que está acertadíssima, grave mas com um tom de “urgência” que nos impele a deixar as rotações subir até perto do corte só para ouvir o roncar dos silenciadores. O empurrar desta unidade é forte, com as características certas para se andar depressa em estrada. Não existe a potência desmesurada das novas desportivas, mas temos as prestações necessárias para uma utilização divertida e “saudável” e companhia dos outros utilizadores da estrada. A Thruxton tem também controlo de tracção e ABS que podem ser desligados, mas são excelentes auxiliares em pisos de menor aderência. A gestão electrónica deste dois cilindros, permite que se escolham entre três modos de resposta do acelerador, Road, Rain e Sport, sendo o último o mais divertido.
Existem mais de 160 acessórios para tornar ainda mais exclusiva a nossa Thruxton, resta escolher a cor certa entre a vermelha, cinzenta ou preto baço.